Home > Marist World > Brazil: Quarar: sol e espera em tempo de Quaresma

 


Wherever you go

Rule of Life of the Marist Brothers


 



 


Social networking

Marist Brothers

RSS YouTube FaceBook Twitter

 

Today's picture

Guatemala: Catechists of the Liceo Guatemala

Marist Brothers - Archive of pictures

Archive of pictures

 

Latest updates

 


Calls of the XXII General Chapter



FMSI


Archive of updates

 

Marist Calendar

14 November

Saint Lawrence
1934: The Cause of Brother François was introduced in Rome

Marist Calendar - November

Quarar: sol e espera em tempo de Quaresma

 

Archive: 2019 | 2018 | 2017 | 2016 | 2015 | 2014 | 2013 | 2012 | 2011 | 2010 | 2009 | 2008 | 2007 | 2006 | 2005 | 2004

17/03/2016: Brazil

 

Ir. José Augusto Júnior

“Mas é claro que o sol vai voltar amanhã
Mais uma vez, eu sei
Escuridão já vi pior, de endoidecer gente sã
Espera que o sol já vem

(Renato Russo/Flávio Venturini)

Em tempo de quaresma, sempre recordo de uma conversa entre minha mãe e uma de nossas vizinhas. Eu, ainda garotinho, escutava a prosa intensa entre as duas senhoras na cerca que dividia nossas casas lá em Sabará, nas terras das Minas Gerais. Na verdade, peguei a conversa já do meio para o final. Mais precisamente, quando a vizinha dizia: - o importante é o sol e não só o tempo de espera.

Eu, menino curioso, esperei a pausa no diálogo e perguntei a minha mãe sobre o que estavam conversando. Dos lábios dela saiu uma palavra até então desconhecida para mim, mesmo com o complemento “roupa” que lhe acompanhava. Com terno olhar e delicadeza de quem sabe ensinar, disse-me minha mãe: - estamos conversando sobre quarar roupa. De supetão respondi: Num intendi nada! Após sonoros risos, as duas disseram novamente, agora juntas: - quarar roupa, uai! Novamente contestei: - e o que é isso?

Até aqui, me lembro bem do diálogo, mas a explicação dada por minha mãe sumiu da memória com o passar dos anos. Porém, valendo-me da tecnologia, busquei o significado de quarar roupa, que era bem próximo ao que ela havia me dito. Com ajuda do Google, encontrei que "Quarar" ou "Coarar" é o ato de deixar as roupas de cor branca ou clara já lavadas e ensaboadas expostas ao sol para ficarem com um branco "imaculado"(sem manchas). Essa exposição é para branquear ou alvejar.

Hoje, com tantos recursos disponíveis para lavar roupa, já não se ouve mais falar em quarar. Até porque, as marcas mais conhecidas de sabão em pó e os populares alvejantes prometem fazer em alguns minutos o que antes levava um bom tempo. Porém, para mim, em tempo de quaresma a palavra quarar segue tendo forte sentido!

Explicarei os motivos de minha insistência no quarar, mas antes falemos diretamente sobre o tempo quaresmal, que começa na Quarta-feira de Cinzas e termina no Sábado Santo ou de Aleluia, véspera do Domingo de Páscoa. Segundo costume, nesse período, os cristãos praticam mais intensamente o jejum, a oração e a penitência. É um tempo de preparação! Tempo inspirado no valor simbólico do número quarenta, que lembra: os 40 anos dos hebreus no deserto; os 40 dias de Moisés no Monte Sinai; os 40 dias das andanças de Elias até a montanha de Deus; os 40 dias que Jesus jejuou no deserto. Por isso, a Igreja assumiu os quarenta dias que precedem a Semana Santa como um momento especial de preparação à Festa da Páscoa.

Há quem prefira ver este tempo de preparação como ocasião de sacrifício, de enormes penitências e de grande sofrimento. Bom, não que o exercício quaresmal seja só alegria, leveza ou coisa soft, mas quaresma é o tempo propício e oportuno para o cristão buscar a imersão na Misericórdia Divina e se tornar, de fato, discípulo de Jesus. Ele, que é a causa e horizonte de nossa jornada, como um “sol”!

Sim, são 40 dias que marcam um tempo de preparação e espera. Para alguns, 40 longos dias de renúncia e sacrifício. Porém, para quem vive sua essência cristã, não deveria pesar ou importar o tempo de espera. Os cristãos, inclusive minha vizinha, sabemos que o importante também, e acima de tudo, é o Sol. O Sol que nos acompanha ao longo desta espera. Gosta do que diz Mario Sergio Cortella, referindo-se a Paulo Freire:

“Como insistia o inesquecível Paulo Freire, não se pode confundir esperança do verbo esperançar com esperança do verbo esperar. Aliás, uma das coisas mais perniciosas que temos nesse momento é o apodrecimento da esperança; em várias situações as pessoas acham que não tem mais jeito, que não tem alternativa, que a vida é assim mesmo… Violência? O que posso fazer? Espero que termine… Desemprego? O que posso fazer? Espero que resolvam… Fome? O que posso fazer? Espero que impeçam… Corrupção? O que posso fazer? Espero que liquidem. Isso não é esperança, é espera. Esperançar é se levantar, esperançar é ir atrás, esperançar é construir, esperançar é não desistir! Esperançar é levar adiante, esperançar é juntar-se com outros para fazer de outro modo. E, se há algo que Paulo Freire fez o tempo todo foi incendiar a nossa urgência de esperanças.”

Repito a frase de minha vizinha sobre quarar roupa, “o importante é o sol e não só o tempo de espera.” Sim, quarar na quaresma é ficar na espera esperançosa, certo que o Sol- O Cristo nos acompanha na travessia dos 40 dias para juntos resplandecermos na festa da vitória da vida sobre a morte, na Páscoa!!! O caminho pode ser longo, mas não será em vão, valerá e muito para celebrarmos intensa e alegremente a Páscoa!

“Espera que o sol já vem!” Neste sentido, a quaresma é o tempo da sentinela que a cada minuto, mais e mais, se incorpora porque a aurora já vem! Porque o sol vai nascer e brilhar e vai quarar a roupa de nossa existência com seus cálidos raios. Quaresma, neste sentido, é “ajudar a aurora a nascer” (Sl 108).

______________________
Ir. José Augusto Júnior - Superintendente de Organismos Provinciais da Província Marista Brasil Centro-Norte. É graduado em Teologia e especialista em Carisma e Princípios Educativos Maristas

717 visits