20 de maio de 2022 FRANçA

20 de maio, aniversário do nascimento de São Marcelino Champagnat

No dia 20 de maio de 1789 − ano do início da Revolução Francesa − nascia Marcelino José Bento Champagnat. O local é uma casa modesta edificada com pedras, na aldeia do Rosey que atualmente pertence à comuna de Marlhes, à 900 metros de altitude, que se localiza no cantão rural de Saint-Genest Malifaux. O maior centro urbano está à 23 km, Saint-Etienne, fronteira sudeste do Departamento do Loire. Na época, viviam em Marlhes aproximadamente 2.700 habitantes. É uma região pouco fértil, fria, e, quando nasceu Champagnat, havia uma mortalidade infantil elevada (30% de mortes anuais), com significativa mortalidade juvenil. Cerca de 60% da população era formada por agricultores.  É nesse típico cenário rural que encontramos a família de Jean-Baptiste Champagnat, o pai de Marcelino, um pequeno comerciante e lavrador, que chegou a ocupar cargos públicos durante a Revolução. A mãe, Marie-Thérèse Chirat, é dona de casa e cuida dos nove filhos do casal. Depois de Marcelino, nascerá ainda o décimo.

Anos mais tarde, o Padre Marcelino Champagnat recorda sua infância no pedido de reconhecimento do Instituto, encaminhado ao Rei Louis-Philippe. A carta diz assim: 

Nascido no cantão de Saint Genest Malifaux, Departamento do Loire, só consegui aprender a ler com inúmeras dificuldades, por falta de professores competentes. Senti desde então a urgente necessidade de uma instituição que pudesse, com muito menor custo, realizar na região rural o que os Irmãos das Escolas Cristãs realizam nas cidades” (Cartas, n.34).

Pelegrinção virtual a Rosey: http://q-r.to/bak66P

Parabéns, pai Champagnat

Ir. Manoel Soares – Timor Leste

Hoje, mais uma vez, nós, os teus filhos, Champagnat, unimo-nos desde os quatro cantos da terra, e com os nossos corações, como uma taça que transborda do mais puro vinho do nosso amor, louvamos a Deus em profundo reconhecimento e gratidão pelo grande dom que foi tua vida para o mundo. Se houver festa no céu pelo teu aniversário, nós aqui também cantamos nossos louvores Àquele que é o Senhor de todas as coisas, pelo valioso presente dado à humanidade, a tua vida. Ao fazermos isso, reafirmamos a nossa fé e o nosso compromisso em ti seguir, acreditando que lá em cima, entre os Santos e Santas, Tu, Champagnat, nos encorajas a caminhar. Sendo nós os teus filhos mais queridos, onde quer que estejamos, o teu nome hoje saudamos, a tua glória exaltamos, de alegria exultamos, parabéns, Champagnat!

Queremos hoje dizer da nossa profunda gratidão a Deus que te escolheu para tão sublime missão, plantando na terra boa e fecunda do teu juvenil coração uma semente única, bela, fértil e poderosa, a tua original vocação.

Deus, tendo por ti feito uma escolha singular, quis ao mundo mostrar que seu amor é sem medida. Fez de ti mais que uma ponte, um canal, uma fonte por onde haveria de jorrar o seu amor de Pai mais profundo, e serias tu neste mundo o instrumento a concretizar esse amor pelos mais abandonados, os milhares de crianças em sua pobreza esquecidas, os jovens com suas feridas por nunca terem sido amados.

Temos repetido insistentemente que os “Maristas de Champagnat”, aqueles e aquelas que se sentem teus filhos e filhas, assumimos o compromisso de tornar viva, hoje mais do que nunca, a tua presença inspiradora, a tua força transformadora num mundo que avança sofrendo as duras consequências de inúmeras “Revoluções” que surgem uma após outra, nesses tempos marcados por tanta imprevisibilidade e incertezas. E não é sem razão que em nossos corações haja as mesmas inquietações, as mesmas angústias que o teu coração de jovem padre sofreu, açoitado pela fúria das diferentes e, às vezes, insuperáveis tempestades; mas tu sabias olhar além, e mesmo durante as terríveis noites escuras, conseguias intuir e acreditar que a aurora de um novo tempo haveria de chegar.

Nós, os teus filhos e demais seguidores vivemos esses novos tempos que vislumbravas de maneira audaciosa quando imaginavas que o teu projeto se espalharia pelos confins do mundo. Era extraordinária aquela confiança, aquela certeza quase palpável de que o empreendimento por Deus colocado sob tua responsabilidade não teria como não dar certo. Se esses novos tempos que ora vivemos são diferentes e têm apelos e desafios também muito diferentes daqueles vividos por ti, somos desafiados a ser movidos pela mesma fé, pela mesma confiança, pela mesma certeza de que não podemos temer; mas, “olhando além” encontraremos novas maneiras inteligentes, criativas e corajosas de dar respostas ao que o mundo espera de nós, e tornar teu projeto tão importante e tão necessário como quando o foi no seu início, há mais de duzentos anos.

Acreditando que tu caminhas à nossa frente, nos sentimos encorajados, confiantes em continuar trabalhando para lançar sementes novas, mas de um jeito novo e criativo de educar e evangelizar. Mas és tu, Champagnat, que sempre nos inspiras, apontando-nos novas possibilidades, novas alternativas, um novo jeito de ser, de fazer e de estar entre as crianças e jovens para indicar-lhes propostas corajosas de ser um bom cristão, um bom cidadão no meio deste mundo que insiste em querer matar dentro do homem os sentimentos mais nobres de justiça e fraternidade, e oferecer-lhe múltiplas opções individualistas de prazer, como única maneira de viver e ser feliz.

E neste dia especial em que iniciamos o “Ano das Vocações Maristas”, nós te pedimos, Champagnat, que inspires o coração de muitos jovens no seguimento de teus passos, no desejo sincero de imitar teu exemplo e serem como faróis a iluminar as noites escuras desses tempos difíceis que hoje vivemos, acreditando na aurora de um novo amanhã onde a justiça, o amor e a solidariedade prevalecerão.

ANTERIOR

Os Maristas da França celebram a memória da...

PRÓXIMO

Irmãos e leigos da Casa Geral celebram a abe...