9 de abril de 2009 MALAWI

Champagnat: fé em ação

A profunda e firme fé de Marcelino Champagnat indica seus sentimentos e convicção pessoais de ser amado por Jesus e chamado por Maria. Sua experiência o ajudou a descobrir suas limitações, que por sua vez se tornaram o centro de todo o seu zelo e entusiasmo, fazendo de cada momento de sua vida uma experiência da presença divina. Um homem de profunda confiança em Deus, que rezava freqüentemente ?Se o Senhor não constrói a casa…?, para expressar sua confiança e abertura a Deus. Seu amor por Jesus e seu evangelho está claramente manifestado no lema do Instituto, isto é, ?Tornar Jesus conhecido e amado?, e considera o presépio, a cruz e o altar como lugares privilegiados para encontrar Jesus.

Por esta razão, está claro porque o livro Água da rocha apresenta Marcelino Champagnat como um homem de ação, prático e com os pés na terra. O amor de Jesus e Maria inspirou tanto entusiasmo em Marcelino que ele imediatamente pôs em ação a sua compaixão pelas pessoas ao fundar nossa congregação.

As colunas de nossa espiritualidade descrevem em poucas palavras, e de maneira extensiva, quem é Marcelino. Ele podia ver a presença de Deus em todos os acontecimentos, mesmo nos mais ordinários, por sua profunda convicção de ser amado por Deus. Um homem de profunda oração, que partilhava a sua fé e encontrava uma variedade de meios para alimentar a vida espiritual dos irmãos.

Champagnat era um homem que mantinha um profundo relacionamento com Maria, chamada de a ?Boa Mãe, nosso recurso ordinário?, e não era de se surpreender encontrá-lo constantemente recorrendo à sua intercessão.

Outras características da personalidade de Marcelino, que emergem continuamente na espiritualidade marista, como um fluxo procedente dele, são também a coragem de assumir os riscos e a disponibilidade para aceitar a vontade de Deus. A comunidade dos primeiros irmãos desenvolveu um espírito de família inspirado no lar de Nazaré, através de suas atitudes de amor, de perdão, de se esquecer de si mesmo para se abrir aos outros. E Champagnat era o coração deste espírito de família.

Champagnat era um líder visionário com um coração aberto a todos. ?Arrebatado por um amor que não conhece limites, ele se sentiu levado a ser irmão de todo mundo. Sua visão foi muito além de seu próprio tempo e lugar. Todas as dioceses do mundo fazem parte de nossos planos? (Água da rocha 138, pág. 74).

Champagnat, estando enraizado na Trindade e em Maria, nossa Boa Mãe, é para nós um símbolo de força e a poderosa inspiração de nossa espiritualidade. Até a estátua de Marcelino, carregando um menino sobre os seus ombros, nos ajuda a crer que possuímos uma segura e vigorosa tradição, que nos prepara a enfrentar o futuro.

_______________
Pelos irmãos: Augustin KAYISHEMA (Ruanda)
John BWANALI (Malavi)
John KATUMBI (Malavi)

ANTERIOR

A santidade, um assunto de família...

PRÓXIMO

Ousemos ser Champagnat, hoje!...