12 de outubro de 2010 FRANçA

Como os Apóstolos no Cenáculo

«Com Maria, ide depressa para uma nova terra». As fraternidades da Província de l?Hermitage e alguns amigos, em 25 e 26 de setembro, responderam ao convite do último Capítulo geral, reunindo-se em Notre-Dame de l?Hermitage.Com Maria, assim no-lo ensinou Marcelino , éramos, como os Apóstolos no Cenáculo e os primeiros cristãos, convidados a ter um só coração e uma só alma, nesse lugar de paz.Partir não se resumia a ir a essa casa, porque o que descobrimos ali nos empurra a ir adiante, a deslocar-nos depressa.No sábado de manhã, a assembleia anual dos animadores e dos Irmãos assessores estava, excepcionalmente, aberta a todos os provenientes das 12 fraternidades. Percebemos ali sinais do Espírito, através de diversas ações vivenciadas neste ano, nas fraternidades, e partilhadas num intercâmbio simples e cheio de motivos para dar graças a Deus. Múltiplas iniciativas de solidariedade, bem objetivas, passando por encontros bem maristas entre diversas fraternidades até a abertura à Igreja local que, neste caso, traz oito novos candidatos à fraternidade. A ação perseverante compensou. Eram perceptíveis os frutos do encontro europeu de Guardamar, quando se tratou de substituir um membro da coordenação, através de uma nova motivação para a animação do Movimento Champagnat, na França. Celebrando 25 anos do Movimento, estava aí a demonstração de sua vitalidade.Partir significava também ir além do quadro de nossas fraternidades para acolher outras realidades maristas leigas: a comunidade ampliada de La Valla – Mulhouse, o responsável leigo da tutela marista, na França, e um coordenador de estabelecimento, leigos maristas da Catalunha das quais participa Joan, o arquiteto, leigos ligados à espiritualidade marista de Jean-Claude Colin (Padres e Irmãs maristas).A nova terra poderia significar l?Hermitage renovado, que cada qual pôde visitar com um guia e aprofundar mais especificamente, num dos 10 grupos da manhã de domingo. Joan, com explicação técnica de arquitetura, nos transmitiu uma mensagem cheia de espiritualidade e de generosidade de coração, sobre o que viveu nos canteiros da obra, com a comunidade e as pessoas das empresas, formando uma admirável simbiose. Não conceberam os operários um cartaz com um provérbio e a inscrição de seus nomes? Leigos maristas de Champagnat nos sentimos muito à vontade, nesta casa renovada. Obrigado a Joan e a toda a comunidade atual.Em diversos momentos, os Irmãos Antonio Ramalho, delegado do Superior geral, Javier Espinosa, do Secretariado dos Leigos, ambos provenientes de Roma, e o Ir. Maurice Berquet, Provincial de l?Hermitage, recordaram-nos um pouco da história da criação do Movimento Champagnat, de seu acompanhamento e de seu lugar, hoje, após o XXI Capítulo geral. A celebração dominical e o almoço de encerramento, com o bolo de aniversário, foram tempos fortes de comunhão para os participantes.A cada um cabe encontrar as novas terras em que o Senhor o espera. Possa Maria e Champagnat guiá-los nesse discernimento!______________1. Carta de 24 de agosto de 1835, convocando os Irmãos a se reunirem no Hermitage de Nossa Senhora, citada no convite.

ANTERIOR

?Semeando vida em comunidade?...

PRÓXIMO

Ecos de uma reunião intercomunitária...