30 de julho de 2013 BOLíVIA

Construir a própria identidade vocacional a partir da comunhão

Durante os dias 17 a 19 de julho, organizou-se um seminário para os noviços do Cone Sul, em Cochabamba, Bolívia, animado pelo Ir. Javier Espinosa, diretor do Secretariado dos Leigos.

Os dias de encontro tiveram como objetivo refletir sobre a maneira de construir a própria identidade vocacional a partir da comunhão. Trata-se de um eco do que já havia expressado o Ir. Charles Howard, há mais de 20 anos: "O partilhar com os leigos espiritualmente há de nos revelar novas profundezas de nossa vocação de Irmãos."

De maneira fraterna e participativa, Mario e Salvador do Paraguai, Daniel da Argentina, Javier do Chile e Oscar da Bolívia foram compartilhando suas impressões sobre o que pode significar caminhar, segundo o espírito do XXI Capítulo Geral, para um novo relacionamento, em direção a um caminho de comunhão, para um novo modo de ser Irmão. Ficou evidente, no diálogo, que tanto a identidade do Irmão quanto a do leigo se enriquecem com a comunhão; que cada vocação se reconhece mais a si mesma no encontro com o outro; que a nova relação entre leigos, leigas e Irmãos conduz a uma nova compreensão de nossas respectivas vocações.

Projetando o carisma de um futuro de comunhão, delinearam-se alguns elementos inerentes à vocação do Irmão. Entre eles: uma vocação mais centrada em Deus e mais missionária, ou seja, um Irmão mais trabalhado interiormente a partir da perspectiva da espiritualidade; um Irmão mais memória espiritual e carismático, ao invés de administrador; um Irmão que está no nível das pessoas comuns, que se sobressai pela sua qualidade espiritual e humana e não pelo esplendor e riqueza da sua instituição; que promove a igualdade fundamental, sem hierarquias, com os leigos; um Irmão que toca o dia-a-dia, o detalhe, o simples para além do aspecto do negócio e do funcional; um Irmão que quer ser companheiro e guia espiritual.

As palavras do Ir. Emili, enviadas através de um vídeo, ressoaram durante todo o encontro: “partilhar o carisma oferece à vida consagrada marista uma nova possibilidade: a de manifestar como estabelecer um autêntico diálogo de vida e amizade entre iguais, com aquelas mulheres e homens leigos que querem partilhar conosco o carisma. Supõe estar dispostos a modificar nossas formas de viver, de rezar e atuar”.

O encontro terminou com a construção de um mandala, onde cada um dos noviços exprimiu, sinteticamente, a própria identidade vocacional como Irmão, em comunhão com a identidade marista do leigo.

ANTERIOR

Secretariado Irmãos hoje...

PRÓXIMO

Josep (Pep) Buetas...