13 de setembro de 2017 MéXICO

Depois do terremoto, os maristas pedem solidariedade

Depois do terremoto mais forte que viveu o México no último século, acontecido no dia 7 de setembro, e que teve 90 mortos, os maristas do México estão pedindo ajuda.

“Nessas situações todo tipo de ajuda é muito boa”, disse o Ir. Javier Francisco Salcedo Camarena.

“Temos prevista uma reunião com o Ir. Daniel Herrera, que viajou até Asunción Ixtaltepec, uma das regiões mais atingidas, para começar a planejar, conforme a informação que traga e ao que combinem, uma campanha de solidariedade em nível provincial e internacional, pois a situação o exige”, continuou, na carta dirigida aos maristas, no dia 10 de setembro.

O terremoto, de 8,1 graus na escala Richter, destruiu várias casas e edifícios na Província Marista do México Central.

Os maristas da Província nada sofreram com o tremor.

Embora não existam notícias sobre estragos nas escolas de San José e San Felipe, na região de Tehuantepec, ou nas escolas do litoral do estado de Oaxaca, várias famílias continuam acampadas nas ruas, com medo de outros terremotos.

Além disso, no dia 8 de setembro o litoral do país foi atingido pelo furação Katia, que deixou dois mortos depois dos desmoronamentos causados pelas fortes chuvas.

Em Ixtaltepec, Oaxaca, os irmãos perderam a casa da comunidade; A escola e o internato sofreram danos estruturais.

Na foto, o presidente mexicano Enrique Peña Nieto visita a região de Istmo de Tehuantepec.

ANTERIOR

Distrito Marista da África do Oeste...

PRÓXIMO

Quarta-feira, 13 de setembro...