12 de maio de 2008 NOVA ZELâNDIA

?Expectancy?

Uma bonita oração comum, abordando o tema ?Expectancy?, ou seja, ?expectativa?, marcou a abertura, no dia 7 de maio, da reunião Conselho geral ampliado da Oceania. Uma imagem de Maria na Anunciação ilustrava este tema, fazendo memória de sua atitude de abertura ao Espírito, à novidade do imprevisto, pois, como dizia um dos versos do poema utilizado para a oração, ?o problema com Deus é que ele nunca chega no momento oportuno?.

Durante a primeira sessão do encontro procurou-se trabalhar em conselhos, buscando identificar quais os temas chave, com os quais se pretende trabalhar para proporcionar maior vitalidade e viabilidade à região da Oceania. Cada conselho deveria apresentar um máximo de cinco temas para discussão.

No início da segunda sessão, ficou estabelecida uma nova dinâmica, de maneira que os temas permaneceram agrupados em torno a seis grandes eixos: o futuro dos irmãos e comunidades maristas nesta região; a importância de conservar uma visão conjunta; como incorporar o espírito de discernimento em todo este processo; as vocações maristas e o papel do distrito da Melanésia e dos irmãos das ilhas do Pacífico na promoção para uma maior vitalidade neste campo; a colaboração entre os diversos níveis de decisão nas unidades administrativas, e o Conselho da Oceania.

No início do período da tarde, colocou-se em comum o trabalho realizado pelos diferentes grupos e proporcionou-se assim um rico diálogo, que colocou em evidência a vontade de avançar juntos, assim como o empenho explícito de todas as unidades administrativas no sentido de favorecer a vitalidade e a viabilidade da região. Como dizia um dos grupos, ?estamos nos dando conta que nossas posições são bem mais próximas umas das outras do que pensávamos ao chegar aqui?.

A quarta sessão de trabalhos serviu para selecionar, através de pequenos grupos, os passos que convêm serem feitos no futuro, sempre com as vistas voltadas a uma maior vitalidade e viabilidade da região. Tratando os temas em comum, puderam-se notar muitas coincidências, que um pequeno grupo buscaria unificar durante noite, para facilitar o trabalho da assembléia que se reuniria no dia seguinte…

Antes de concluir os trabalhos do dia, os irmãos foram convidados a expressar com liberdade seus sentimentos sobre tudo aquilo que tinha sido vivido ao longo desta ativa jornada. E esta partilha fraterna e sincera foi a melhor porta de entrada à celebração da Eucaristia, nesta semana em que nos preparamos para a festa de Pentecostes, que é a festa da unidade na diversidade de dons e carismas.

No encerramento das atividades deste dia, que foi aberto com ?expectativa?, à maneira de Maria, muitos irmãos expressaram sua alegria por terem sentido a presença dos dons do Espírito neles mesmos e na assembléia, manifestados na unidade, na confiança, no ânimo, na alegria, na clareza, etc. ?Imitando a comunidade dos apóstolos, reunidos no Espírito Santo no dia de Pentecostes, reconhecemos entre nós a presença de Maria, Mãe da Igreja. Ela nos ajuda a viver fraternalmente, fazendo-nos compreender melhor que formamos o Corpo de Cristo? (C 48).

ANTERIOR

Desafios em favor dos pobres...

PRÓXIMO

?Novas visões, novos sonhos?...