13 de agosto de 2005 VATICANO

Faz com que também nós possamos partilhar a tua mesma glória

No coração do mês de Agosto a liturgia celebra com solenidade a Assunção da Bem-Aventurada Virgem ao Céu. Este é um dia de esperança e de luz, porque todos os homens, peregrinos na terra, podem entrever, em Maria, o destino de glória que os espera.
Olhemos para Ela como sinal de esperança certa. De facto, em Maria cumprem-se as promessas feitas por Deus aos humildes e aos justos: o mal e a morte nunca terão a última palavra.
Por mais escuras que possam ser as sombras que por vezes se adensam no horizonte, e por mais incompreensíveis que sejam certos acontecimentos da vicissitude humana, nunca percamos a confiança e a paz. A festa de hoje convida-nos a confiar-nos a Nossa Senhora da Assunção que, do Alto, como estrela resplandecente, nos orienta no caminho quotidiano da existência terrena.
Com efeito prossegue a sua obra ao lado do Rei da glória, como nossa advogada e ministra de salvação. Maria ajuda a compreender que unicamente no seu Filho divino a nossa vida pode encontrar sentido e valor plenos. Assim, Ela alimenta em nós a esperança da meta para a qual estamos encaminhados enquanto membros do Povo de Deus peregrino na história.
Ó Virgem, Mãe de Cristo, vela sobre a Igreja! Faz com que também nós, um dia, possamos partilhar a tua mesma glória no Paraíso, onde hoje foste assumida acima do coro dos Anjos e triunfas com Cristoeternamente.

Angelus

ANTERIOR

Como viver, hoje, o sonho de Champagnat?...

PRÓXIMO

Efeito colateral por haver seguido uma estrel...