XIV Capítulo – 1946, Grugliasco (Italia)

09/1946 – 99 Irmãos participantes

Contexto social e político

O XIV Capítulo geral foi convocado quando o mundo inteiro era convulsionado pela segunda guerra mundial.

Motivo da convocação

O Irmão Diógenes, reeleito em 1932, para um período de doze anos, não terminou seu mandato. Faleceu em Saint-Genis-Laval,1 no dia 23 de fevereiro de 1942, depois de uma longa enfermidade, durante a guerra que castigou o mundo inteiro. Em plena guerra mundial (1939-1945) era impossível convocar o Capítulo geral para dar um sucessor ao estimado Superior, falecido.

O Irmão Michaëlis, primeiro Assistente, exerceu as funções de Vigário-geral até 1945, quando renunciou a seu cargo por causa de suas enfermidades. O Irmão Marie-Odulphe, que assumiu esse mesmo cargo, no fim da guerra, mediante a Circular de 25 de dezembro de 1945, convocou o Capítulo geral, em Saint-Genis-Laval, sem fixar a data.2

Em outra Circular enviada em 24 de maio de 1946, o Irmão Vigário-geral escrevia: “Na Circular de 25 de dezembro de 1945, comuniquei-lhes a decisão do Conselho-geral de convocar o XIV Capítulo geral, em Saint-Genis-Laval (França)”3. “Entretanto, desde então, houve circunstâncias imprevistas que originaram dificuldades com vistos e viagens, o que obrigou os Superiores a reconsiderar o assunto e, depois de ter rezado, consultado e avaliado cuidadosamente todas as coisas, decidiu que o Capítulo geral fosse celebrado em Grugliasco (Itália).” 4

Para a eleição dos delegados a este Capítulo, solicitou-se um indulto à Santa Sé para obter que, além das 27 Províncias existentes e que deviam eleger dois delegados cada uma, os importantes Distritos da Itália, Alemanha e Chile – Peru, que poderiam ser Províncias se os acontecimentos da segunda guerra mundial não o tivessem impedido, fossem representados no Capítulo geral, cada um deles, pelo Visitador em função e um delegado eleito. Também se pediu que a Vice-província da Nova Caledônia e o Distrito de Notre-Dame de Lacabane, cujos efetivos eram menos numerosos, fossem representados, cada qual, por um delegado eleito. Roma concedeu benignamente o que fora solicitado, em 12 de novembro de 1945.5

O número total dos capitulares, eleitos ou de direito, chegou a 101.6 A data de abertura é o dia 24 de setembro de 1946. O retiro será celebrado de 16 a 23; portanto os capitulares deverão chegar, o mais tardar, até o dia 15.” 7

Desse modo, em Grugliasco, era celebrado o Capítulo geral pela quarta vez consecutiva. “A antiga Casa geral, destruída em consequência de um bombardeio, da ocupação pelas tropas italianas e alemãs, e do inevitável deterioramento provocado pelas intempéries das estações, por muitos anos, foi magnificamente restaurada sob o comando enérgico e competente do Irmão Euphrosine, Assistente-geral, muito competente em questões de construção.” 8

No dia 16 de setembro, às 19h, iniciava o retiro preparatório pregado, como aquele de 1932, pelo Pe. Hilaire Balmès, Vigário-geral dos Oblatos de Maria Imaculada que, com grande estima pelos Irmãozinhos de Maria, não duvidou em deixar suas importante ocupações, em Roma, para vir a oferecer, aos capitulares de 1946, os tesouros de sua experiência sacerdotal.

No quarto dia de retiro, houve uma reunião preliminar para verificar as credenciais, para a designação provisória dos escrutinadores e demais formalidades previstas para a celebração da Assembleia capitular.

Eleições

Em 24 de setembro, festa de Nossa Senhora das Mercês, a votação do Capítulo foi favorável ao Irmão Leônidas, Assistente-geral, para o cargo de sétimo Superior-geral do Instituto. No dia seguinte, foram eleitos os Irmãos para os serviços gerais do Instituto. Foram reeleitos os Irmãos Assistentes em função: Marie-Odulphe, Euphrosin, Clément, Jean-Emile, Sixto, Desiré-Alfons e Paul-Stratonique. O Irmão Sebastiani foi eleito como Assistente-geral para substituir o Imão Michaëlis, que foi Vigário-geral e não pôde participar do Capítulo por sua idade e enfermidades.
O Ir. Luis-Marie foi reeleito para o Economato-geral, cargo que ocupava desde 1922, e o Irmão Avit foi reeleito Secretário-geral, serviço que prestava desde 1938.

Decisões

Durante quinze dias, o trabalho foi feito em Comissões, como nos Capítulos anteriores.

A Circular de 8 de dezembro de 1946 traz, em sessenta páginas,9 os relatórios da cada Comissão, em geral resumidos, considerado que vêm com extensão considerável; as propostas apresentadas pelas Comissões e aprovadas pela Assembleia capitular; e, finalmente, os Estatutos votados pelo Capítulo, em número de quatorze, dos quais alguns confirmam ou complementam estatutos similares, já aprovados por Capítulos anteriores.

Em seu relatório, a Comissão da Regularidade, baseando-se em trabalho preparado pelo Conselho- geral, explica as adaptações que foi preciso fazer no texto, inclusive nas Regras comuns, para melhorar a redação, para uma próxima edição; confiou ao Conselho a revisão definitiva dessas Regras comuns, antes de imprimi-las.



1 Saint-Genis-Laval (França) voltara a ser a Casa-mãe, em1939.

2 Circulaires T. 19, p. 417

3 Circulaires T. 19, p. 429

4 Circulaires T. 19, p. 429

5 Circulaires T. 19, p. 418-419.

6 Circulaires T. 19, p. 421

7 Circulaires T. 19, p. 455

8 Bulletin de l’Institut, T. 17, p. 313

9 Circulaires, XIX, 490-557.