8 de julho de 2009 MADAGASCAR

Jubileu

De 4 a 6 de junho de 2009, os Irmãos Maristas e os parceiros leigos celebraram os 50 anos da Escola Champagnat, em Antananarivo. A festa foi marcante pela participação dos estudantes, nos esportes e nas atividades culturais variadas. No dia 5 de junho, a Eucaristia, ponto alto da festa, foi presidida por S. Excia. Monsenhor Odon Arsène Razanakolona, arcebispo de Tananarivo, e pelo pároco da igreja de Anatihazo. No início da missa, o Ir. Jean Juste, em seu pronunciamento, sublinhou o histórico da escola e a colaboração dos Irmãos na paróquia, desde o início da fundação. Falou da necessidade de ampliar a escola com a abertura do segundo ciclo do secundário, o que os pais muito pediram aos Irmãos. O Ir. Diretor da escola, o Ir. Pierre Joseph, insistiu prevalentemente sobre a responsabilidade de todos os implicados no trabalho educativo, para conseguir as mudanças e a melhoria da escola e da educação das crianças e dos jovens. Foi claro, no entanto, em dizer que, apesar da dúvida de pais e de pessoas de boa vontade, a direção da escola está decidida a empreender as mudanças necessárias.

Os professores e os pais que colaboraram fielmente com a escola, durante muitos anos, receberam o título honorífico de Bene Merenti das mãos do arcebispo e foram longamente aplaudidos pelos presentes, sobretudo estudantes do colégio. Depois da missa, o Arcebispo benzeu uma gruta recentemente erguida, com as estátuas de Nossa Senhora, de Marcelino e duas crianças. Depois da bênção da gruta, o Sr. Arcebispo e o pároco uniram-se ao corpo docente, aos membros da administração e aos pais, em torno de um buffet, na área coberta da escola, apenas construída.

Por ocasião da celebração do 50º aniversário, a Província marista de Madagascar e os colaboradores leigos levantaram a questão delicada da propriedade de todas as escolas paroquiais da Província, suas extensões, a infraestrutura, a natureza da colaboração, os responsáveis financeiros e, sobretudo, as relações entre os pais e a direção das escolas maristas na Província.

No referente à propriedade das escolas, os Irmãos maristas, o Provincial e seu Conselho consideram que, após 50 anos de direção de uma escola paroquial pelos Irmãos, é natural que a escola lhes pertença. Esta questão vem sendo estudada ao mesmo tempo pelos Irmãos e pela Igreja local. Entretanto, a transferência da propriedade não está clara para o povo e para os professores, mesmo quando os Irmãos maristas garantem que, sob a autoridade deles, a escola receberá certamente mudanças e melhorias. Entretanto, isso não se percebe nas escolas que já são nossas.

No que diz respeito à administração dos estabelecimentos escolares, é necessário modernizar procedimentos administrativos. Isso implica, entre outros, uma grande participação dos professores e dos pais na tomada de decisões e na concretização. Além disso, o desenvolvimento de nossas escolas e uma melhor performance educativa dos estudantes requer que a administração se lance em projetos capazes de obter o financiamento dos programas que as receitas escolares atuais não cobrem. Esses programas incluem viagens de estudo, aquisição de equipamentos esportivos e outras atividades não arroladas no programa escolar.

________________
Tiamaro Alphonse, fms Madagascar

ANTERIOR

Encontro e relatório para os membros da Admi...

PRÓXIMO

Como Jesus, Maria e Marcelino: ser líderes e...