Carta de Marcelino – 136

Marcellin Champagnat

1837-09-24

Situada nas montanhas do Velay, a escola de Tence interessava muito ao Padre Champagnat. É uma região de cristãos fervorosos de cujas famílias poderiam surgir vocações religiosas. Mas, vários obstáculos impediram a realização imediata dos seus sonhos.
Infelizmente os Maristas só apareceram em Tence em 1938, 100 (cem!) anos depois deste pedido do Padre Peala. (Cf. Cartas de no 121, 283 e 335)

Senhor Pároco,
Quase tínhamos perdido de vista o estabelecimento de Tence, porque desde muito tempo, ninguém nos falou mais nada, de sorte que já não podíamos pensar nele.
Sua carta acaba de despertar nossa atenção para este caso, e como o senhor nos oferece um estabelecimento com fontes de pagamento garantidas, colocá-lo-emos entre os primeiros que iremos abrir, contanto que a escassez de candidatos não nos obrigue a um prazo que faça o senhor mudar de planos.
Nossos Irmãos entram agora em férias, vão começar o retiro. Com isso, julgue o senhor mesmo, senhor Pároco, se me é permitido ausentar-me durante este tempo…
É só depois da Festa de Todos os Santos que eu poderei dar-me o luxo de ir visitá-lo. E é isso mesmo que vou fazer, de acordo com a resposta com que o senhor se dignar honrar-me, resolvido como estou a não descuidar nada, a fim de corresponder ao zelo e à generosidade que o animam em favor da glória de Deus e da educação dos meninos.
Sou, com respeito, senhor Pároco, seu mui dedicado servidor,
Champagnat

Edição: Marcelino Champagnat. Cartas - SIMAR, São Paulo, 1997

fonte: Daprès la minute, AFM, RCLA 1, p. 58, nº 58

ANTERIOR

Carta de Marcelino - 133...

PRÓXIMO

Carta de Marcelino - 137...