Carta de Marcelino – 165

Marcellin Champagnat

1837-12-13

Uma das últimas tentativas do Padre Champagnat para ver se conseguia a aprovação seria de reunir a congregação marista àquela do Padre Mazelier, constituindo-a como um ramo da congregação da Instrução Cristã, de Saint-Paul-Trois-Châteaux. Ou então, anexá-la àquela de La Mennais da qual se inspirou o Padre Mazelier.
Mas, este projeto não foi à frente. O contrário é que se deu, pouco após a morte do Fundador: Os Irmãos de Mazelier e também os de Viviers se uniram aos Maristas, formando uma só família.

Jesus, Maria, José.
Padre Superior,
É chegado o tempo em que, segundo o parecer do senhor Reitor da Academia, devem ser mandados os compromissos de nossos Irmãos que estão para ser chamados ao serviço militar. Temos realmente necessidade do auxílio de sua caridade neste ano ainda, como nos precedentes.
Acabamos de enviar um pedido ao Ministro da Instrução Pública, a fim de conseguir a sanção de nossos estatutos, através de um Decreto assinado pelo Rei. As autoridades locais nos estimulam a ter muita esperança nesta nova tentativa.
Contudo, estamos apreensivos: As coisas podem arrastar-se indefinidamente, sob o pretexto de que se trata de uma congregação nova. Pensamos em pedir-lhe o favor de nos mandar, quanto mais cedo possível, seus estatutos acompanhados de uma cópia do Decreto pelo qual lhe foi concedida a isenção, a fim de que, se ocorrer o impasse, nós possamos nos fazer autorizar como sendo um ramo do seu Instituto, que de fato não difere em nada do nosso, a bem dizer.
Queira, pois, senhor Padre superior, continuar sua boa vontade para conosco assim como suas orações, e receba os sentimentos respeitosos com que tenho a honra de ser, venerando Superior, seu servidor totalmente dedicado,
Champagnat

P.S. Foi a conselho do senhor bispo de Belley que tomamos a liberdade de lhe fazer este pedido, pois alguém tinha objetado a seu delegado em Paris que, para a autorização de uma nova congregação religiosa, seria preciso conseguir uma lei que passasse pelas duas Câmaras, ao passo que fazendo-nos autorizar como um ramo do Instituto do Padre de La Mennais, para a Academia de Lião, como é a sua para a Academia de Grenoble, esta dificuldade já não existiria.

Edição: Marcelino Champagnat. Cartas - SIMAR, São Paulo, 1997

fonte: Daprès lexpédition, AFM 112.9

ANTERIOR

Carta de Marcelino - 141...

PRÓXIMO

Carta de Marcelino - 202...