Carta de Marcelino – 241

Marcellin Champagnat

1839-01-23

O Padre Champagnat, como tem feito com outros pedidos, pede um prazo, com toda humildade e submissão à autoridade máxima da hierarquia eclesiástica. Mas, o fato é que o caso não teve prosseguimento.

Excia. Revma.,
A solicitude verdadeiramente apostólica que V. Excia. tem para com seu rebanho, o zelo ardente do digno pastor de Pélissanne, os sentimentos religiosos e benevolentes do prefeito do município, e, sobretudo, as necessidades dos meninos despertam em meu coração sentimentos de pesar tanto mais vivos e angustiantes quanto maior a impossibilidade em que me encontro de responder neste momento às solicitações urgentes de V. Excia.
Sinto intensamente, Excia., quanto seria vantajoso para os Irmãozinhos de Maria fundar escolas em sua excelente diocese, sob os auspícios de V. Excia. e à sombra de sua proteção. Porém, já prometi para o ano próximo mandar Irmãos a vários municípios. Foram solicitados faz tempo e fizeram enormes gastos para poder receber os Irmãos. Minha palavra está dada e eu preciso ser fiel a ela, sobretudo porque os pedidos vêm apoiados pela autoridade episcopal.
Assim sendo, permita-me prostrar-me aos pés de V. Excia. para suplicar-lhe humildemente que haja por bem usar de um pouco de paciência, por mais um tempinho. Apresso-me em assentar seu pedido nos registros, bem resolvido a dar-lhe seqüência no mais breve espaço de tempo possível.
Dentro em breve, vamos lançar as bases de um noviciado na pequena cidade de Lorgues (Var). Ser-nos-á mais fácil então fornecer-lhe Irmãos, visitá-los e socorrê-los depressa nas diversas dificuldades que tiverem de enfrentar. Atualmente, dois Irmãos ficariam por demais isolados e abandonados à própria sorte, num estabelecimento tão afastado da casa principal.
Considero-me feliz pelo fato de esta circunstância me proporcionar a ocasião de apresentar a V. Excia. a homenagem de profunda veneração e total disponibilidade, com que tenho a honra de ser…

Edição: Marcelino Champagnat. Cartas - SIMAR, São Paulo, 1997

fonte: Daprès la minute, AFM, RCLA 1, pp. 120-121, nº 140

ANTERIOR

Carta de Marcelino - 240...

PRÓXIMO

Carta de Marcelino - 245...