23 de maio de 2011 TIMOR LESTE

Missão Marista

O Timor Leste é um dos países mais novos do mundo. Em 1999 a população votou pela independência do país num referendo popular. Este processo foi seguido de grande devastação do país, com o incêndio de cidades e a morte de milhares de timorenses. No ano de 2002, com o apoio das Organizações das Nações Unidas (ONU), o país conseguiu finalmente sua independência. Esse processo foi acompanhado de perto pelo Papa João Paulo II a quem o povo é muito grato.

A população do país se aproxima de 1milhão e 200 mil pessoas. A maioria da população (52%) é formada por crianças e jovens com menos 15 anos de idade. Os indicadores do país mostram que 42% da população vive abaixo da linha da pobreza. A economia da maioria das famílias é baseada na agricultura de subsistência. As pessoas que se dizem católicas representam 98% da população. As línguas oficiais são o português e o tetum, mas as línguas mais faladas, entre outras 32 são o tetum e o bahasa-indonesia.

A missão marista no Timor Leste teve inicio no ano de 2000, quando a Província de Melbourne assumiu o Instituto Católico para Formação de Professores, na cidade de Baucau. Hoje, os Irmãos Fons van Rooij, John Horgan e Tony Clark em colaboração com religiosas, leigos e leigas cuidam da formação de 150 novos professores que terão em suas mãos a construção e desenvolvimento do país. Além do Instituto, foi criada a Creche Marcelino Champagnat que garante o cuidado de 24 crianças.

A infraestrutura do Timor Leste é precária. Para se percorrer 120 Km de carro de Dili a Baucau são necessárias três horas de viagem. Diariamente as cidades do interior sofrem com a falta de energia elétrica. Água na torneira é privilégio da capital. Os serviços de saúde e educação são fracos e insuficientes. A maioria da população vive daquilo que produz na agricultura e em outros pequenos negócios. A juventude não tem muitas perspectivas de um futuro diferente em relação ao que vivem no momento.  É necessário avançar muito.

Por outro lado, o potencial de crianças e jovens é muito grande. É necessário investir na sua formação.  O povo timorense é muito inteligente, criativo e religioso. O governo quer apostar na educação para fazer a diferença. O país tem uma forte vocação turística que precisa ser explorada. Sua localização geográfica é estratégica para o comércio marítimo. Há recursos minerais que podem contribuir para financiar o seu desenvolvimento. Será necessário muito investimento e solidariedade internacional para ajudar o Timor Leste a consolidar-se como país.

Nós maristas, estamos contribuindo para esta missão. Isto nos deve honrar. Somos chamados a dar mais de nós para as crianças e jovens do Timor. O próprio governo do país e a Igreja local pedem-nos maior contribuição. Este apelo deve tocar nossos corações e mentes. Pode ser uma grande oportunidade de responder mais fortemente ao apelo do 21º Capítulo geral que nos convida a ?olhar o mundo com os olhos das crianças e jovens pobres?.

_________________
Ir. João C. do Prado
Diretor do Secretariado da Missão

ANTERIOR

Instituto de Estudos Maristas (IEM) de Salama...

PRÓXIMO

Províncias da Austrália...