5 de julho de 2006 VATICANO

Nossos irmãos mártires

Na manhã do dia 20 junho de 2006, os cardeais e bispos (25) estiveram reunidos para examinar a causa do grupo dos nossos Irmãos mártires: Laurentino, Virgilio e 44 outros irmãos.
O resultado foi positivo. Todos reconheceram em nossos irmãos como verdadeiros mártires de Cristo. Essa avaliação dos cardeais e bispos confirma os dados dos oito teólogos que por unanimidade expressaram um parecer muito favorável e sem nenhuma objeção ao grupo dos mártires, em 28 de janeiro de 2005.

O que significa essa última etapa? Significa que a causa terminou o seu itinerário no que se refere ao exame. Quando os teólogos e os cardeais e bispos dão um parecer positivo sobre um caso de martírio, o Papa aceita sempre essa decisão com o decreto sobre o martírio. Os decretos sobre martírio ou sobre a heroicidade das virtudes para os confessores são emitidos em três momentos: em julho, no tempo do Natal e no tempo de Páscoa. Para os nossos Irmãos mártires o decreto está previsto para julho, Natal ou Páscoa.

Depois do decreto vem a data da beatificação. Aqui uma espera se impõe. Foram incorporadas 29 causas para se chegar a uma única beatificação. Dezenove dessas causas já foram concluídas, entre as quais a causa do Ir. Bernardo e aquela do Ir. Laurentino. Restam quatro outras para serem examinadas pelos cardeais e bispos. Esperamos que sejam examinadas em outubro, novembro ou dezembro de 2006.

Se isso acontecer, então as beatificações podem ser previstas para o outono de 2007, mas sem nenhuma certeza matemática. Os postuladores interessados desse grande grupo de mártires, 496, já se reuniram para prever os diversos trabalhos a fazer em preparação das beatificações.

Por que está em atraso? Porque a beatificação estava prevista para o outono de 2006. Porque o novo Papa, Bento XVI, tem procurado dar tempo para estabelecer a sua política de governo da Igreja, estabelecendo, por exemplo, que as beatificações, de maneira geral, sejam feitas nas dioceses. Isso produziu um atraso em todo o trabalho da Congregação para as causas dos santos.

Onde será feita a beatificação. Gostaríamos de não fazê-la na Espanha. Os cardeis e bispos espanhóis desejam que seja em Roma. Comunga desse mesmo parecer o embaixador espanhol, assim como todos os postuladores. Resta convencer a Secretaria de Estado do Vaticano.

Mas esses nossos Irmãos são mártires e vítimas políticas? As duas coisas. Verdadeiros mártires porque mortos pelo ódio contra os valores cristãos que viviam e ensinavam. Verdadeiros mártires porque a muitos deles, antes de serem fuzilados, foi dado a ocasião de serem libertados se renunciassem a Cristo. Mas isso aconteceu em um contexto político. O lado político raramente está ausente de um martírio, começando pelo de Cristo. Lendo o relato da paixão de João, o motivo que percorre toda a paixão é: ?Sois rei?… portanto, sois rei!… Matarei o vosso rei?… Não temos outro rei que César?? E sobre a sua cruz o motivo da condenação é político: ?Jesus Nazareno, Rei dos Judeus.? Talvez Jesus não seja somente mártir, mas o MÁRTIR, e através dele todos os outros aceitam de ser mártires.

ANTERIOR

Reunião anual da Equipe de Patrimônio maris...

PRÓXIMO

Profissão perpétua em Norandina...