15 de setembro de 2017 COLôMBIA

Quinta-feira, 14 de setembro

PDF: Engish | Español | Français | Português

Dentro da dinâmica de aproximação ao mundo contemporâneo, o capítulo abre as portas ao mundo dos jovens. 25 jovens, líderes da Pastoral da Juventude e de outras pastorais da Província Norandina encheram de vida a Sala Capitular.

 

 

Os jovens no Capítulo

Desde a segunda-feira, 11 de setembro, 25 jovens dos três países que formam a Província Norandina estão reunidos em Rionegro, preparando o encontro com os capitulares, que se realizou hoje. Três jovens vieram da Venezuela, três do Equador e os demais da Colômbia. Eles representam todos os jovens do mundo marista, que através de mensagens gravadas em vídeo, também participaram do Capítulo.

Foram os jovens a animar as duas sessões da manhã, com cantos, dança, oração e reflexão. Deixaram também uma “Mensagem em nome dos jovens maristas do mundo para o Instituto dos Irmãos Maristas”.

Na primeira sessão, misturados nas mesas dos capitulares, conversaram com os participantes do Capítulo e quiseram ouvir por que o Instituto quis fazê-los participar desse momento importante. Por sua vez, os jovens puderam partilhar o sentimento que vivem pelo fato de terem sido convidados ao Capítulo. Outros temas da conversa foram motivados por perguntas dirigidas tanto à assembleia quanto aos jovens: qual a sua história no Instituto Marista? O que é o melhor de ser marista?

Mensagem dos jovens aos capitulares

A segunda sessão foi marcada pela leitura da Mensagem que os jovens trouxeram para os capitulares e para todo o Instituto. Foi lida em dois momentos diferentes: no primeiro sublinhou-se a situação social em que vivem os jovens atualmente e no segundo deu-se ênfase às propostas para que se construa um Novo La Valla dentro do Instituto na perspectiva dos jovens. Depois de cada um dos momentos, os capitulares, junto com os jovens, nas mesas de trabalho refletiram sobre a mensagem lida.

Os jovens afirmam que a realidade hodierna

está transmitindo uma cultura de morte, uma sociedade onde a guerra mutila os nossos sonhos e aspirações, onde muitos de nós não temos tido oportunidade de levantar a voz diante das injustiças. O mundo de hoje tira a oportunidade de viver nossa infância e juventude, fazendo-nos sentir como escravos em um mundo que se proclama livre.

A partir da realidade percebida, os jovens propõem ao Instituto:

Acreditamos que para educar e evangelizar ao jovem, a ferramenta principal deve ser o acompanhamento.

Pedimos linhas claras diante das situações e problemas que vive o mundo moderno, em temas como a homossexualidade, o aborto, gravidez precoce, suicídio, racismo, discriminação, intolerância e a degradação do meio ambiente.

Leia aqui a mensagem completa, em inglês ou español.

 

Tomando consciência do apelo dos jovens

Na parte da tarde, depois do momento de descontração e oração, animados pelos jovens, os dois grupos se separaram e cada um refletiu sobre o que viveu pela manhã.

Os capitulares, animados por Jimena Grignani e Gabrielle Giard, procuraram sintetizar nas mesas o que mais marcou daquilo que foi dito pelos jovens e o que os levara a sair da zona de conforto.

Na segunda sessão, a mesma partilha foi feita com os jovens, que voltaram à sala capitular. E, por fim, o microfone ficou aberto e várias pessoas expressaram o valor do dia e quanto foi escutado.

Ficou bem claro, também graças à ajuda dos jovens, que muitas coisas foram descobertas nesses dias de perscrutamento do que há de novo no mundo. Consciente disso, o Instituto busca um modo de ser, um novo La Valla, que esteja em consonância com o hoje.

Os jovens tiveram a coragem de tocar elementos delicados da vida marista, com profundidade e coragem profética, convidando os capitulares a uma profunda reflexão do modo de viver o carisma de Champagnat. Existe um mundo juvenil emergente esperando pela presença do carisma marista.

 

Ação de graças termina a jornada

Com a convicção que os Irmãos precisam dos jovens e os jovens dos Irmãos, todo o grupo se reuniu na capela, às 18:45, para a celebração eucarística, concluindo assim um momento muito significativo do capítulo.

O Ir. César Rojas, na reflexão durante a celebração, disse que “a experiência que viveram hoje não é mérito de vocês, mas um dom de Deus. É um compromisso”. O mesmo compromisso foi lembrado pelo Ir. Emili Turú, agradecendo aos jovens; um compromisso que pode ser sintetizado pelos três ícones que acompanharam a preparação do Bicentenário: Montagne, compromisso com a vida; Fourvière, compromisso com a comunhão; La Valla, compromisso com as raízes da espiritualidade.

Jóvenes para tocar los sueños (H. Aureliano García, Marista)

ANTERIOR

Quarta-feira, 13 de setembro...

PRÓXIMO

Sexta-feira, 15 de setembro...