3 de agosto de 2022 BRASIL

Rede de Economato da Região América Sul se reúne em Curitiba

Os ecônomos provinciais que fazem parte da Rede de Economato da Região América Sul se encontraram entre os dias 26 e 29 de julho, no Centro Marista Champagnat, em Curitiba, na Província Brasil Centro-Sul, com o propósito de partilhar os desafios, boas práticas e oportunidades de sinergia.

O Ecônomo Geral do Instituto, Ir. Jorge Gaio, também participou do evento, e salientou que essa aproximação entre as Províncias é importante para a vitalidade das obras. Ele mencionou também que “Precisamos olhar para o futuro e começar a planejá-lo hoje, pois logo esse futuro chega e nós precisamos estar preparados. Uma atuação em rede soma esforços nos pontos estratégicos econômicos e financeiros que irão garantir a sustentabilidade da Missão”. Da mesma forma, o Ecônomo também lembrou as prioridades elencadas durante a última Conferência dos Provinciais – em março, em Roma – que poderão servir como norte para os trabalhos da Rede de Economato da América Sul.

Durante o evento, os ecônomos das Províncias – reunidos de maneira presencial após dois anos – apresentaram um resumo de sua atuação. E dividiram seus desafios e iniciativas que podem ser replicadas a nível de rede.

Transparência e diálogo

Como boa parte dos representantes das Províncias assumiu recentemente a função de Ecônomo – a partir dos Capítulos Provinciais –, a reunião em Curitiba, certamente, marca um novo momento de planejamento para a Rede de Economato da América Sul.

Para o Ir. Délcio Balestrin, Ecônomo da Província Marista Brasil Centro-Sul, a participação do Ecônomo Geral do Instituto foi fundamental. “Nós agradecemos a transparência com que dados importantes sobre a atuação global Marista nos foram apresentados. Isso é importante para termos subsídios em tomadas de decisões e planejamentos”. Ademais, o Irmão sugeriu que os temas tratados no encontro da Rede sejam compartilhados com os Conselhos Provinciais. “Isso irá garantir um alinhamento e que todo o planejamento e execução de projetos e iniciativas façam sentidos para todos”, salientou. 

A sugestão foi endossada pelo Secretário da Região América-Sul, Leonardo Soares. “A Rede tem um papel essencial de fazer chegar todo esse trabalho que é articulado em grupo nas unidades e obras. É uma maneira de fazer ecoar em todas as instâncias as articulações que estão sendo realizadas, atuando no presente para transformar o futuro”, disse.

Encaminhamentos do Encontro

Ao fim do Encontro, a Rede de Economato da Região América Sul elencou próximos passos para a atuação em rede, como a priorização, finalização, inclusão de projetos, bem como seus desdobramentos, acompanhamento de inciativas e indicadores, além de encaminhar as agendas para os anos de 2023 e 2024. Um segundo encontro da Rede já está marcado para acontecer virtualmente em novembro de 2022.

ANTERIOR

Comunidade Marista e a ONG SED presentes na B...

PRÓXIMO

Conversa "Falemos da Mobilidade Humana e das ...