19 de setembro de 2008 ITáLIA

San Giorgio di Nogaro

No dia 23 de agosto, em cerimônia simples, mas tocante, a administração municipal de ?San Giorgio di Nogaro? dedicou ao Irmão Giorgio Bigotto, marista, a rua que conduz ao centro de saúde da cidade. À cerimônia, fizeram-se presentes o senhor prefeito, Pietro Del Frate, todo o Conselho municipal, o pároco da cidade, Pe. Livio Carlino, os membros da família do Irmão e um grupo de amigos mais íntimos.

O Irmão Giorgio foi, durante 40 anos, missionário na República Democrática do Congo. Chegou em l965 e trabalhou em Nyangezi, Kisangani, Kindu, Goma e Bobandana, onde morreu de enfarte, no dia 21 de maio de 2004.

O senhor Prefeito apresentou-o nestes termos: ?Um homem de nossa terra que não esqueceu nunca suas raízes e que fez de sua vida um dom total aos outros, aos que sofrem, aos mais fracos, aos últimos.? O Prefeito lembrou também a brilhante carreira universitária do Irmão. Mas, às glórias do ensino universitário preferiu a missão de professor de história, de geografia, de filosofia e de latim e sempre, de religião. Por longos anos e em diversos lugares, foi diretor de colégios. Em cada retorno à sua terra, deixava transparecer o entusiasmo que tinha pelos jovens do Congo. Antes de oferecer seu saber, inculturou-se; antes de educar, deixou-se educar pelos outros. Desenvolveu um amor entranhado pelo povo congolês de modo que sofria fisicamente com as injustiças e com a longa guerra civil, que representou um interminável martírio para o povo congolês. Aconteceu de colocar a própria vida em perigo para salvar a dos outros. Sempre sonhou com tempos de paz para a República Democrática do Congo.

Acompanhou também muitos jovens, encaminhando-os à vida religiosa marista ou sacerdotal ou ao convento, no caso das moças. Numerosos jovens Irmãos congoleses tiveram-no como orientador.

O pároco lembrou as conversas, mesmo rápidas, que mantinha com Giorgio, depois das missas: « O entusiasmo pela missão era evidente!?Em seguida, motivou todos os presentes para uma oração e para a bênção da rua.

Giorgio, possivelmente, nunca imaginou que sua cidade natal, um dia, daria seu nome a uma rua. Mas os amigos o estimavam e ainda o estimam muito. Por ocasião de sua morte repentina, mensagens de condolências chegaram de todos os horizontes do mundo marista. Os seus antigos alunos o lembram ainda hoje, e alguns, com lágrimas. Em seu túmulo escreveram: ?Irmão Giorgio, amigos dos jovens, reza por nós!?

ANTERIOR

Ano de Espiritualidade Marista...

PRÓXIMO

?Irmão, receba este livro...?...