21 de junho de 2013 ESPANHA

Secretariado dos Leigos

Convocados pelo Secretariado dos Leigos, reuniram-se  na casa marista de Les Avellanes, de 28 de maio a 3 de junho de 2013, representantes da animação leiga do mundo marista (América, Ásia, Europa e Oceania) junto com os membros do mencionado Secretariado, o Ir. Antonio Ramalho, Conselheiro geral, o Ir. César Rojas, do Secretariado Irmãos Hoje e a equipe de tradutores. Apoiando a reflexão em alguns temas estiveram o Dr. José Maria Pérez-Soba e o Ir. Juan Miguel Anaya.

Após as apresentações e o marco do movimento em que vivemos, o encontro abordou os temas da vocação marista leiga, dos processos de acompanhamento e de formação dos leigos, da necessidade do reconhecimento de seu compromisso mediante fórmulas de vinculação e  comunhão de Irmãos e leigos com o carisma marista.

A dinâmica de trabalho foi essencialmente experiencial. Na mesa de trabalho, nos grupos e nos momentos de diálogo informal predominava o interesse de partilhar vivências, realidades e projetos relacionados aos leigos que atualmente estão sendo levados a efeito no mundo marista. O resultado dessa proposta formativa foi a elaboração de uma linguagem comum, o reconhecimento das diferenças entre regiões e províncias e o desejo de avançar, a despeito das dificuldades que aparecem em cada situação, no sentido de um horizonte muito destacado no último Capítulo geral e na linha de trabalho do Secretariado dos Leigos.

A sensação mais significativa que me foi possível observar no encontro, é que no caminho da animação leiga há um salto qualitativo quando emerge o conceito de vocação, isto é, o chamado de Deus para viver o carisma marista e a resposta pessoal.

Antes desse encontro, muitas coisas foram e estão sendo realizadas: participação dos leigos na gestão e na missão, formação dos leigos nos valores, na história e na pedagogia marista, criação de climas de amizade e alegria no encontro entre Irmãos e leigos, celebração conjunta da vida e da fé… Contudo, apenas quando se dá o salto de ser convocado para viver o seguimento de Jesus na própria condição de leigo e com as referências carismáticas de Marcelino Champagnat e de sua comunidade de Irmãos é que se pode dizer, de fato, que se vive no presente-futuro de um carisma que enriquece a Igreja e que se presta a servir as crianças e jovens pobres e necessitados.

É neste cenário que surge a preocupação de crescimento na vocação marista, de Irmãos e leigos viverem juntos, de reconhecerem-se mutuamente, de discernir e de assumir responsabilidades em comunhão para desenvolver projetos de vida e de missão.

A experiência vivida nos diz que o nosso futuro marista é um futuro de comunhão.

ANTERIOR

?Todas as dioceses do mundo entram em nossos ...

PRÓXIMO

Partilhar vida e reflexão...