19 de setembro de 2017 COLôMBIA

Segunda-feira, 18 de setembro

Nos últimos dias, os participantes do Capítulo analisaram a realidade que nos rodeia, tentando ver como ela será daqui a dez anos. A partir de segunda-feira, 18 de setembro, começou uma reflexão voltada para o interior do Instituto, tentando desenvolver um autoconhecimento, como Instituto. Nos próximos dias se meditará não só a situação que se vive hoje, mas qual poderia ser a realidade daqui a 10 anos.

Fotos em FaceBook

 

Oração e mensagem das Irmãs SMSM

Como é costume, os primeiros minutos na Sala Capitular foram dedicados a momentos de oração. Os irmãos da Província Brasil Centro-Norte prepararam a do dia de hoje.

Em seguida, o Ir. Ben Consigli, coordenador da Comissão Facilitadora, leu a mensagem enviada pela Irmã Georgeanne M. Donovan, superiora geral das Irmãs Missionárias da Sociedade de Maria.

Meus votos a todos vocês é o dom do Shalom. É um desejo por tudo o que a palavra Shalom significa para o povo judeu: plenitude, integridade, saúde, paz, bem-estar, segurança, solidez, tranquilidade, prosperidade, perfeição, descanso, harmonia, ausência de agitação ou discórdia.

Leia toda a mensagem em inglês.

 

Olhando para dentro do Instituto

Nos primeiros dias do Capítulo o trabalho foi voltado a descobrir o que há de novo no mundo e como cada um é atingido por essa novidade. Ao mesmo tempo, abriu-se à perspectiva do futuro, tentando ver as tendências e o que acontecerá daqui a 10 anos.

A partir de hoje, a perspectiva muda; agora se olha para dentro, tentando se conhecer, descobrir aquilo que se é e o porvir do Instituto.

A missão dos capitulares não era encontrar soluções para os problemas nem de tomar decisões, mas conversar sobre o que significa ser membro desse organismo, dessa instituição. Finalmente se dará o passo decisivo, tentando unir as duas realidades, aquela do ‘mundo’ com aquela institucional, conectando-as para que o Instituto não seja uma realidade fora do mundo.

 

O que significa ser membro desse organismo

Com os participantes distribuídos em novas mesas de trabalho, o facilitador Matthieu Daum propôs uma escuta contemplativa buscando experimentar o que significa ser membro desse corpo que é o Instituto Marista. Chamou atenção para sete princípios que devem orientar a escuta contemplativa:

  • Ralentar o passo e perceber mais o que está em volta de si
  • Escutar com todos os sentidos
  • Escutar as palavras e as imagens usadas
  • Escutar as emoções transmitidas pela pessoa que está falando
  • Deixar de julgar
  • Prestar atenção ao que não se entende ou o que provoca perguntas ao invés daquilo que eu não gosto
  • O que se sente ao escutar o que se diz e por quê?

Pode ver detalhes desses elementos em English e Español

Orientados por esses princípios, os capitulares foram convidados a conversar nas mesas sobre o que funciona bem e sobre o que não funciona, em 4 aspectos da vida marista:

  1. Na maneira como se vive
  2. No estilo em que se está organizado e se funciona
  3. Na missão, em particular em relação com quem se trabalha para realizá-la
  4. Na nossa missão, e em particular em relação aqueles a quem servimos

Na parte da manhã foram trabalhados os dois primeiros temas. Cada um pensou em três elementos positivos e negativos para cada elemento. Em seguida, de dois em dois, um falou para o outro um desses elementos. E isso se repetiu com três diferentes pessoas

Na sessão da tarde, das 15:00 até às 17:15, foram trabalhados os dois últimos itens, sobre a missão. A dinâmica usada foi a mesma: pensar coisas positivas e negativas, que funcionam ou não, e partilhar com uma outra pessoa, revezando o parceiro por três vezes.

 

Colhendo os frutos

Na última parte da sessão da tarde foi recolhido o resultado do trabalho do dia. Cada um foi convidado a responder pessoalmente a três questões e em seguida partilhar no próprio grupo:

  • O que descobriu hoje?
  • O que provocou maior surpresa?
  • Como foi marcado por essa experiência de descoberta?

As respostas dos grupos foram recolhidas e passadas ao Ir. Teo Grajeda, auxiliar da Comissão Facilitadora.

 

Eucaristia termina as atividades do dia

Com a missa, às 18:45, celebrada pelo capelão Frei Rodrigo Ortiz, ofm, terminaram as atividades do décimo primeiro dia do capítulo.

ANTERIOR

O bicentenário coincide com os 25 anos de pr...

PRÓXIMO

Para as vítimas dos furacões e terremotos n...