15 de março de 2016 QUêNIA

Sustentabilidade da missão na África

Três seminários aconteceram na África com o objetivo de ajudar as Unidades Administrativas do continente a progredir no processo de autossustentabilidade.

O primeiro aconteceu em Nairobi, Quênia, de 15 a 19 de fevereiro, com o título “Sustentabilidade da missão: África e Ásia”. O seu objetivo é ajudar os dois continentes no processo de autossustentabilidade e, ao mesmo tempo, apoiar a missão do Instituto.

Cerca de 30 participantes do Distrito da África do Oeste, Províncias da África Centro-Leste (PACE), África Austral, Nigéria e Madagáscar se reuniram na Casa Roussel.

“Gostaria de sublinhar o empenho feito pela equipe organizativa no planejamento tão positivo do seminário”, disse o Ir. Kasaba Bushilya, da Zâmbia.

“Os assessores June Alisson Westarb Cruz, Cesar Leandro Rivero e Ir. Jorge Gaio, os tradutores, Ir. Teófilo Minga e Francisco Ricardo, assim como os Irmãos coordenadores Kiko e Teo contribuíram enormemente para o sucesso do seminário”, ele acrescentou.

Em seguida, outros dois encontros foram realizados simultaneamente, de 22 a 26 de fevereiro, em Madagáscar e Nairobi, durante os quais as Províncias de Madagáscar e PACE analisaram a própria realidade.

 

Madagáscar

Vinte e uma pessoas se encontraram em Antsirabe, no seminário de Madagáscar: dois líderes de cada centro marista do país, incluindo leigos e o Conselho Provincial.

June Allison Westarb Cruz e Kleberson Massaro Rodrigues, da Província Brasil Centro-Sul, animaram o seminário. Participaram também os Irmãos Mario Meuti, representando a Administração Geral, e o Ir. Teófilo Minga, da Província de Compostela, como tradutor.

“O objetivo do projeto foi sublinhado de maneria clara e com voz alta”, disse o Ir. Mario. “Pretende fortalecer a missão marista no país e convidou os participantes a considerar a Província como um todo, a se sentirem como um ‘corpo’ e não se interessarem apenas do desenvolvimento do próprio trabalho.”

“Os que estavam presentes exprimiram, em várias ocasiões, satisfação com o processo que pode ajudar de maneira exponencial o desenvolvimento da missão marista e também disseram que estão disponíveis a promovê-lo em suas próprias frentes de trabalho”, ele afirmou.

Os participantes elaboraram um calendário para 2016 e pediram ao Conselho Provincial para nomear uma comissão que acompanhe o trabalho.

Os dois assessores, June Allison e Kleberson se disponibilizaram a seguir acompanhando o processo, mesmo através de vídeo conferências durante os próximos meses para ajudar a Província de Madagáscar no caminho em direção à autonomia econômica.

 

Província da África Centro-Leste

Dez pessoas se encontraram, também de 22 a 26 de fevereiro, da Província PACE, em Nairobi, para analisar a situação financeira de Quênia, Ruanda, República Democrática do Congo, África Central e Tanzânia.

“Esse seminário nos convidou a termos maior consideração por nossas contas, de modo que, através de uma análise objetiva de cada uma das atividades apostólicas possamos identificar o que nos pode ajudar a criar uma independência financeira”, disse o Ir. Teo Grageda, ecônomo de PACE

“Foi também um convite para considerar a depreciação dos nossos bens. Precisamos um fundo para poder substituí-los”, ele acrescentou. “O seminário mostrou o bom espírito de colaboração e participação de cada irmão da Província, para que possamos ter uma exata imagem da nossa realidade e uma estrada a seguir.”

No final do encontro, os participantes criaram uma linha de ação, sublinhando os ideais a serem alcançados. 

ANTERIOR

Resposta Marista a Laudato Si...

PRÓXIMO

Curso de dois meses em Manziana e El Escorial...