23 de maio de 2020 LíBANO

Projeto de ajuda humanitária Fratelli 2020 por COVID-19

www.lasalle.org

“Não conseguimos sair de casa há algumas semanas, exceto para ir ao supermercado e à farmácia. E agora o dinheiro está acabando”.

Estas são algumas das palavras dirigidas à equipe do Projeto Fratelli durante o mês de março, quando os empregados vieram reclamar seus salários. Já havia passado um mês inteiro sem nenhuma atividade nos nossos centros e sem nenhum trabalho para a equipe. A decisão foi tomada sem hesitação de continuar pagando os funcionários do Projeto Fratelli sem contrato, mas depois de ouvir as situações de cada um, quando vieram pegar a paga, ficou claro que mais precisava ser feito.

Foi assim que foi lançado o projeto de ajuda humanitária Fratelli 2020 para remediar a crise provocada por COVID-19, uma iniciativa destinada a dar uma resposta imediata à atual crise da sanitária, que estava devastando não só o Líbano, mas em particular as comunidades marginalizadas, principalmente os refugiados.

Criado em 2015, o Fratelli é um projeto colaborativo co-patrocinado pelos Irmãos Maristas e Irmãos de La Salle. Com o objetivo de servir aos que vivem à margem da sociedade, o projeto foca principalmente no atendimento às populações refugiadas no Líbano, especialmente sírios e iraquianos, bem como às famílias libanesas empobrecidas. Para ambas as congregações religiosas, a educação está no centro de suas missões como ferramenta para desmantelar a pobreza geracional e uma forma de criar mudanças positivas e sustentáveis dentro das comunidades mais pobres. Os Irmãos rapidamente perceberam que para educar os corações e mentes dos jovens, eles precisavam ter o estômago cheio e lavar as mãos. Você não pode ensinar alguém com o estômago vazio. Daí surgiu um projeto anual de ajuda humanitária no qual, a cada primavera, Fratelli lhes oferecia uma ajuda cobrindo necessidades básicas; alimentação, acesso a água limpa, roupas e abrigo para suas famílias.

Este ano, o desafio tem sido enorme. Com uma pandemia espalhada em todo o mundo, o Líbano, já em dificuldades pelo colapso do sistema financeiro, revoluções políticas e infra-estrutura desmoronada, estava à beira do colapso. Para evitar o caos generalizado, o governo rapidamente fechou tudo e bloqueou o país, implementou toque de recolher e o uso de máscaras, e limitou a circulação de pessoas por todo o país. O objetivo era controlar a propagação do vírus e impedir que ele chegasse aos assentamentos de refugiados, o que teria levado a um aumento dos casos. Hoje, o Líbano é o país com mais refugiados no mundo em relação à sua população “156 por 1.000 habitantes; seguido pela Jordânia com 72 por 1.000 habitantes e pela Turquia com 45 por 1.000 habitantes”, número que só tem aumentado desde o início da guerra na Síria. Segundo o Banco Mundial, em 2018, o Líbano abrigava mais de 1.424.592 refugiados, a maioria dos quais sírios.

É inegável que COVID-19 tem afetado de forma desproporcional as populações refugiadas. Ao restringir a circulação e fechar postos de trabalho, os refugiados, que dependem e fazem parte de uma economia baseada em dinheiro, foram completamente excluídos de sua fonte de renda. Incapazes de usar o sistema bancário no Líbano, os refugiados usam dinheiro para pagar aluguel, comprar alimentos e outros suprimentos, incluindo medicamentos. O Fratelli trabalha com apenas cerca de 1.000 famílias, cada uma das quais tem expressado claramente a crescente gravidade da situação. Para o mundo, COVID-19 será uma crise baseada em saúde, higiene e infra-estrutura médico-governamental. Mas para as populações mais pobres e refugiados, a crise será uma crise de fome e não uma crise sanitária.

O projeto de ajuda humanitária deste ano é sem dúvida o maior e mais acelerado já realizado na história da Fratelli, devido às necessidades imediatas de nossas famílias. O projeto é composto por quatro partes principais:

Kits de higiene: contém produtos de limpeza para higiene pessoal e saúde em geral do lar. Cada cit durará um mês por família e vem com um folheto informativo sobre como praticar a boa higiene e saúde para evitar a disseminação do coronavírus.

Cesta de alimentos: contêm alimentos essenciais não perecíveis para cerca de duas a quatro semanas, dependendo do agregado familiar. Os alimentos essenciais incluem sal, óleo, lentilhas, farinha, massas, atum em lata e muito mais.

Pasta para o confinamento: vêm com atividades educativas e recreativas para nossos alunos, pois todos estão fechados em suas casas durante esse período. São fornecidos livros para colorir, pequenos brinquedos, balões e bichos de pelúcia para dar aos pais uma sensação de paz de espírito.

Vídeos Educacionais: o Fratelli oferece uma variedade de programas para seus alunos e fez a transição de todas as aulas/programas para plataformas online. Equipes de educadores estão criando vídeos semanais repletos de atividades e materiais educativos para manter os alunos no caminho do sucesso acadêmico. Além disso, as aulas de inglês estão sendo ministradas através do WhatsApp e o treinamento do programa para jovens da Fratelli também está sendo ministrado online.

A fim de continuar a acompanhar suas famílias, o Projeto Fratelli sublinha a sua missão de trabalhar com pessoas à margem da sociedade, não permitindo que os tempos difíceis que vivemos hoje para impedir o cuidado e o apoio pastoral das pessoas. Fratelli entende que, para envolver os corações e mentes de seus alunos, segurança, conforto e necessidades básicas como alimentação devem ser considerados a primeira prioridade. Viva Jesus em nossos corações! Para sempre!


Este artigo foi escrito por Emily Redfern, uma voluntária dos Estados Unidos que atualmente trabalha no Projeto Fratelli.

ANTERIOR

Homenagem à Sra. Adrienne Rainville, leiga m...

PRÓXIMO

Os direitos da criança no coração da miss...