MARCELINO CHAMPAGNAT

São Marcelino Champagnat, padre marista, fundador do Instituto dos Irmãos Maristas, apaixona-se por Deus e se entrega com entusiasmo a favor das crianças e jovens, especialmente mais necessitados. Uma comunidade internacional de irmãos continua hoje em dia seu sonho.

Quando vê crianças e jovens sem instrução nem catecismo, exclama: “Necessitamos irmãos”. E a 2 de janeiro de 1817 inicia com dois jovens o projeto do Instituto dos Irmãozinhos de Maria.

O papa João Paulo II canoniza Marcelino no dia 18 de abril de 1999 na praça São Pedro do Vaticano e o reconhece como santo da Igreja universal.

BIOGRAFIAS

Romance Histórico

Subsídios em preparação a celebração da canonização de Marcelino Champagnat

Lembranças pessoais, as que recolheu de outrem, o relacionamento com o Fundador - Reflexões sobre sua obra

1ª Parte - Depoimentos a respeito de Marcelino Champagnat

Fundador do Instituto Marista

Compendium Vitae, Virtutum ac Miracolorum

ESCRITOS PARA MARCELINO

Há tempo desejava estabelecer uma escola primária em St. Symphorien-le-Château. O prefeito departamental deu-me autorização para erigir uma escola. Tendo ouvido falar da vossa instituição, o bem que dela se diz nos faz desejar que os vossos Irmãos se estabeleçam na comuna. Asseguro-vos que a escola primária, dirigida pelos vossos Irmãos, será vista com prazer pela população.

O assunto expresso nesta carta é um pedido de Irmãos para a abertura de escolas, tema que se repetirá em muitas outras cartas dirigidas ao Pe. Champagna. 15/09/1823.

VEJA TODAS AS CARTAS

ESCRITOS DE MARCELINO

Meu caro Irmão Barthélemy e seu caro colaborador.
Fiquei muito satisfeito de receber notícias suas. Fico satisfeito de saber que vocês estão com boa saúde. Sei também que estão com muitos alunos e que, portanto terão também muitas cópias de suas virtudes, pois é seguindo estes modelos que seus alunos se formam. De acordo com os exemplos que vocês derem é que eles vão pautar o comportamento deles.

Esta carta deve ser resposta a uma do Irmão Barthélemy, escrita em primeiro de janeiro, para desejar ao Fundador um Feliz Ano Novo. 21/01/1830.

VEJA TODAS AS CARTAS

BEATIFICAÇÃO

29 de maio de 1955

Marcelino Champagnat, nosso Fundador, foi beatificado no dia 29 de maio de 1955, na Praça São Pedro, do Vaticano.
Quarenta e seis anos após sua morte, em 1886, começou um percurso que conduziu à beatificação e, depois, à canonização.
O processo diocesano durou 5 anos e, em 1896, o Papa Leão XIII assinou o decreto de introdução da causa, dando a Champagnat o título de Venerável. Cinquenta e nove anos mais tarde (1955), na solenidade de Pentecostes, foi beatificado na celebração presidida pelo Cardeal Tedeschini.

Bulletin de l’Institu n. 160 – Tome XXI, p. 628

A BEATIFICAÇÃO

Na tranquila manhã de Pentecostes, de 29 de maio de 1955, quando a atmosfera ainda não está mormacenta com os fortes calores do verão romano, grupos de Irmãos Maristas de todas as Províncias do Instituto, provenientes de 35 países e representando outras tantas nacionalidades, convergem de todos os pontos da cidade para a basílica de São Pedro. Eles vêm para a cerimônia da beatificação de seu pai e fundador, o Venerável Marcelino Champagnat. São 600, designados e sorteados para representar seus coirmãos, nessa grandiosa cerimônia; 600 privilegiados pela sorte ou por suas funções ou ainda por outros motivos que os tornam um tanto confusos por se encontrarem ali, de preferência a outros com igual mérito. Mas enfim, foram designados e vieram. Por esta vez a obediência lhes terá sido muito agradável. Desde a véspera, tem-se a impressão de que há Irmãos Maristas em todos os cantos da Cidade Eterna, porque seu ‘rabat’ branco sobre a batina preta os identifica de longe e, como dispõem de pouco tempo, aproveitam-no bem para ver os belos monumentos de Roma. Apressam-se, pois, rumo à basílica, felizes e irradiantes. Não podiam deixar de sê-lo. É para o bem- amado Pai de todos eles essa manifestação, os grandes quadros dependurados na entrada da basílica ou na glória de Bernini, essas decorações suntuosas, no interior de São Pedro; são para ele essas homenagens tributadas no centro da catolicidade. Os peregrinos ocasionais, que vão à basílica São Pedro para participar de uma beatificação, olham-nos cheios de admiração e quase com inveja.

CANONIZAÇÃO

18 DE ABRIL DE 1999

O papa João Paulo II canoniza Marcelino no dia 18 de abril de 1999 na praça São Pedro do Vaticano e o reconhece como santo da Igreja universal.

Um coração sem fronteiras

A canonização de São Marcelino Champagnat, fundador dos irmãos maristas, celebrou-se no dia 18 de abril de 1999, na praça de São Pedro do Vaticano. Este vídeo reúne imagens e palavras das celebrações que aconteceram em Roma naquele longo fim de semana. Assim estão condensados, em pouco menos de trinta minutos, acontecimentos e emoções de uma página histórica. São como faíscas de um fogo que podem avivar a memória e a lembrança. Não é questão de nostalgia. Trata-se do compromisso de viver hoje, em cada coração fiel e em cada país do mundo, a espiritualidade e a missão de um Santo que entendeu em sua vida o Evangelho como o amor que não tem fronteiras.