Nossa Senhora, a Boa Mãe

Do jeito de Maria

O relacionamento de Marcelino com Maria, a quem se referia como a “Boa Mãe”, foi marcado por profunda afeição e total confiança, pois estava plenamente convencido de que o projeto que empreendera, na verdade era dela. Escreveu certa vez: Sem Maria não somos nada; com Maria temos tudo, porque Maria sempre tem seu adorável Filho nos braços e no coração. Essa convicção permaneceu com ele por toda a vida. Jesus e Maria eram o tesouro no qual Marcelino aprendera a depositar seu próprio coração. Esse relacionamento íntimo contribuiu para o dimensionamento da espiritualidade mariana. Em nossa tradição, a expressão “Recurso Habitual” traduz a plena confiança em Maria. O lema “Tudo a Jesus por Maria; tudo a Maria para Jesus”, atribuído ao fundador por seus biógrafos, revela o estreito relacionamento entre filho e mãe, atitude de confiança de Champagnat em Maria, atitude que somos convidados a viver. (Água da Rocha, 25)


A Boa Mãe e a Virgem do Voto (Ir. A. Lanfrey)