XVIII Chapitre – 1985, Roma

09/1985 – 132 Frères participants

Ao terminar seu mandato em 1985, o Ir. Superior Geral constata que, apesar de muitos aspectos positivos pelos quais é preciso dar graças a Deus, há uma forte diminuição de pessoal e assinala uma evidência: “ um notório desajuste entre os documentos e a vida real” Daí que se perceba, por exemplo, falta de unificação na vida, debilidade na formação inicial e permanente, desconfiança ante autênticos chamados do Senhor e dons do Espírito em temas tão ricos como a vida comunitária, o serviço aos pobres, a educação para a justiça.A Conferência de Provinciais da América Latina abre e propõe um caminho de reflexão e discernimento que terá posteriormente repercussão no Instituto. A Conferência de 1984, celebrada em Chosica (Peru), constitui um marco nesse caminhar fraterno. O tema central é a “Missão do Irmão Marista na América Latina hoje”, enfatiza a urgência de fazer uma opção real e operativa pelos pobres dentro do carisma marista.O Capítulo começa com uma tarefa bem definida. Além de eleger, como todo Capítulo, o próximo Governo Geral e de fazer um balanço do que se viveu nos últimos anos, é preciso realizar um estudo final das Constituições, para submeter sua aprovação à Santa Sé. Os Estatutos, incorporados ao texto das Constituições, equivalem ao antigo Diretório.Ao término do Capítulo há uma formulação aberta de prioridades que se poderiam agrupar assim:* a diminuição e o envelhecimento dos efetivos como apelo a uma pastoral vocacional e à necessidade de reestruturar as prioridades apostólicas;* fortalecer a formação, com o desejo explícito de redigir e pôr em prática um Guia de Formação;c* ontinuar todo o dinamismo criado em torno da “Pobreza e Justiça”;* crescer na espiritualidade apostólica como meio de unificação da vida;* revitalizar nossa identidade;* promover a inculturação;* transmitir, sem demora, as Constituições a todo o Instituto;A celebração da Conferência Geral de Provinciais se realiza, pela primeira vez, fora de Roma. Em Veranópolis (Brasil), coincidindo com o centenário da chegada dos Irmãos à América Latina. Três semanas que marcam uma nova forma de realizar esta Assembléia. Seis Irmãos jovens são convidados pelo Ir. Charles Howard para participar na mesma, e apresentam a sensibilidade e a visão que lhes é própria.Antes do subseqüente Capítulo, o Superior e seu Conselho oferecem um relatório ao Instituto no qual sugerem algumas linhas de ação rumo ao futuro:* desenvolver atitudes e prática de discernimento (pessoal e comunitário);* expandir nossa solidariedade (“ad intra” e “ad extra”);* maior abertura aos leigos ( missão com eles e para eles).